Atendimento parental para famílias

Ser pai e mãe vai muito além de cuidar dos filhos em sentido físico e material, claro que essas são necessidades básicas. É desafiador exercer o papel de cuidador de maneira a conseguir bons resultado, afinal, ninguém deseja ter filhos desrespeitosos, egoístas ou que não cooperam com as regras da casa.

Nessa jornada você acertará e errará inúmeras vezes e está tudo bem, ninguém te ensinou que é possível aprender, estudando mesmo, como na época da escola, para ser pai e mãe mais habilidoso e consequentemente acertar na criação dos filhos e colher bons resultados.

É preciso aprender sobre comportamento, pois suas atitudes refletirão no comportamento do seu filho e você pode aprender a mudar para melhor, quando algo não está da maneira que você gostaria que fosse.

Através de estudos, aprendizagem de práticas parentais mais eficazes você pode aumentar as chances do seu filho aderir aos seus pedidos, sendo feito de forma respeitosa e colaborativa. Para isso estudamos, investimos, afinal estudamos para sermos melhores em tantos campos da nossa vida, porque não para sermos pai e mãe melhores?

Vem comigo que vou te conduzir nessa jornada linda e desafiadora que é ser mãe!

Estilos parentais

Respeitoso – nesse estilo os pais exigem dos filhos, mas em contrapartida são extremamente participativos e respeitosos. Pode ser chamado de estilo participativo.

Permissivo – nesse estilo os pais colocam poucos limites, exigem pouco dos filhos e apresentam elevada responsividade, ou seja, muito afeto. Por vezes, são as crianças que acabam estabelecendo as regras da casa.

Autoritário – nesse estilo existe muito limite por parte dos pais, porém pouco afeto.
Geralmente esses pais são mais exigentes e pouco participativo na vida dos filhos.

Negligente – nesse estilo os cuidadores apresentam baixo nível de exigência e baixo nível de responsividade.

Qual estilo você tem praticado mais?

Psicologia clínica

Seg-Sex: 8am – 6pm
Sáb: 8am – 2pm

Parentalidade consciente

A parentalidade consciente consiste em reconhecer as necessidades das crianças, ou seja, o que há por trás do comportamento, assim como os pais reconhecerem suas próprias necessidade. O auto-conhecimento, faz-se necessário nessa jornada. É uma forma de estar presente, ou seja, ser presente e educar de maneira mais alinhada com os valores da família. Uma parentalidade mais consciente é pautada no conhecimento a respeito do desenvolvimento da criança e na construção de uma relação mais respeitosa, acolhedora e emocionalmente mais validante.

Sugestão de leitura:

▸ Filhos: Ter ou não ter? Eis a questão!

▸ Parentalidade consciente

Psicologia clínica
Seg-Sex: 8am – 6pm
Sáb: 8am – 2pm

Maior harmonia na relação com os filhos

Quanto maior a conexão maior é a chance de ter uma vida familiar harmoniosa. A conexão é desenvolvida desde o nascimento do bebê, no tom de voz, no cuidado dispensado a eles, nas brincadeiras, no afeto, no vinculo estabelecido, na validação e acolhimento dos mesmos. Essa conexão pode ser reestabelecida, mesmo quando a criança já está maior, isso ocorre quando ela se sente pertencente e importante no ambiente.

Psicologia clínica
Seg-Sex: 8am – 6pm
Sáb: 8am – 2pm

Comunicar bem para reduzir conflitos

A comunicação aberta, ou seja, que existe espaço para ouvir e para falar, tem um grande poder na construção das relações respeitosas, incluindo a relação com os filhos. Os pais são os principais modelos na construção dessa relação, eles podem fazer isso demonstrando genuíno interesse pela fala e sentimento das criança, assim como acolher e validar os mesmos, para que a criança desenvolva segurança e senso de adequação para falar do que sente. Um alerta, acolher e validar não significa ser permissivo e deixar que a criança faça tudo que deseja, significa respeitar o que ela está vivenciando e dar espaço para que a mesma se posicione, por outro lado, você que é mãe fará o mesmo, poderá dizer como se sente e juntos procurarem a melhor solução para o “problema”.

Psicologia clínica
Seg-Sex: 8am – 6pm
Sáb: 8am – 2pm